A COVID-19 ceifou vidas, prejudicou economias, mudou as circunstâncias e criou muita incerteza em todo o mundo. Os cristãos que acompanham o canal SAT-7 PARS no Irã compartilharam como sua fé em Cristo os está apoiando um ano depois que tudo começou.

Estar afastado de amigos e familiares e vivenciar a privação de uma comunhão significativa continua a ser um teste de resistência para muitos no Irã e em todo o mundo. Ainda assim, as mensagens dos cristãos iranianos oferecem muito incentivo para quem se sente sozinho.

“A pressão e as dificuldades que vivemos aumentam a cada dia. Já tivemos problemas para ganhar uma renda e com desemprego, inflação, notícias perturbadoras e injustiças; tudo isso é uma pequena parte dos problemas que nosso povo enfrenta. Além de todas essas coisas, o coronavírus foi adicionado à mistura”, compartilha um espectador do canal.

Os primeiros casos da COVID-19 foram notificados inicialmente no Irã em 19 de fevereiro de 2020. Desde então, de acordo com dados oficiais, o vírus já matou mais de 58.000 iranianos e é possível que os números reais sejam significativamente maiores.

“O coronavírus me aproximou muito mais de Cristo.”

A resposta dos iranianos às diretrizes restritivas e ao lockdown tem sido mista, assim como no resto do mundo. “As pessoas estão preocupadas. Eles temem o vírus”, conta Rozita. “Do ponto de vista do trabalho e da renda, alguns estão à beira da falência. Também tenho visto algumas pessoas indiferentes à situação e há muito tempo saíam sem máscaras, acreditando que o coronavírus só mata os fracos. Outros se tornaram obsessivos e desenvolveram problemas psicológicos.”

O aumento contínuo da pressão está causando muito atrito nas famílias e é demais para alguns. Um espectador escreveu: “Depois de muitos anos de casamento, minha esposa pediu o divórcio, embora tenhamos filhos pequenos. O surto de vírus foi e continua sendo o fator que mais contribuiu para a nossa separação e teve um impacto destrutivo em minha vida”. Em outros casos, a solidão é outro problema que afeta muitas pessoas.

A fé em Cristo faz uma diferença real

Por causa da ameaça de perseguição, os cristãos iranianos enfrentam potencialmente um grau maior de isolamento, em parte porque observam as diretrizes. A participação aberta em reuniões cristãs levou à perseguição mesmo antes da COVID-19. “A pandemia fez com que eu ficasse mais isolada e me impediu de abraçar e beijar minha mãe e meus entes queridos”, diz Rozita.

Apesar das condições desafiadoras, as mensagens para o canal SAT-7 PARS mostram que os cristãos são capazes de confiar em sua fé em Cristo, e isso está fazendo uma diferença significativa para eles no enfrentamento dos problemas causados ​​pela COVID-19. “O coronavírus me aproximou muito mais de Cristo”, continua Rozita a explicar. “Isso me lembrou que, como seres humanos, não temos poder e que a própria vida está por um fio e só é sustentada pela vontade do Senhor. Portanto, devemos apreciar o valor da vida e de nossos entes queridos a cada momento que recebemos.”

“A COVID-19 enfatizou a necessidade de valorizar e ser grato um pelo outro e não de julgar imprudentemente um ao outro”, escreve Yavar, um espectador do canal SAT-7 PARS no Irã. “Afinal, o véu entre a vida e a morte não é substancial. Houve momentos em que havia muitas pessoas ao redor, mas por causa do vazio interior nos sentimos sozinhos. Mas agora esse vácuo foi preenchido por Cristo, e mesmo quando você está sozinho, você não se sente sozinho.”