Por cinco anos e seis meses, compartilha Samira*, ela foi separada de seus dois filhos pequenos, sem direito de vê-los ou lutar pela custódia. Um episódio recente de You are Not Alone (Você Não Está Sozinho) do canal SAT-7 ÁRABE conta a história de Samira e destaca a falta de proteção legal que pode deixar as mulheres do Oriente Médio e seus filhos muito vulneráveis.

“Não consigo expressar minha dor ou o quanto sinto falta dos meus filhos. Eles são meu coração e minha vida. Quando falo com eles, me sinto como um humano com alma. Quando eles não estão aqui, eu me sinto sem vida”, diz Samira no programa.

Samira contatou o programa You Are Not Alone com medo e desespero. Quando seu relacionamento com o pai de seus filhos se desfez, ele impediu Samira de ver seu filho e filha, agora com oito e sete anos. Samira não tinha recursos para lutar pela custódia e temia que, se ela procurasse ajuda, seria recusada, porque o sistema jurídico libanês muitas vezes favorece o pai em casos de custódia. Desesperada para encontrar trabalho, para que pudesse sustentar seus filhos se eles pudessem voltar para casa para ela, ela se mudou para outro país do Oriente Médio, desesperada com as condições econômicas muito difíceis do Líbano. Ela continuou a se conectar com o filho e a filha por meio de ligações e mensagens.

Mas quando ela começou a receber mensagens provocativas dizendo que seus filhos estavam sendo abusados ​​física e sexualmente sob os cuidados de seu pai, ela ligou para You are Not Alone.

“Tínhamos tão poucas informações para nos conduzir que não tínhamos certeza se isso era verdade”, disse Sirene Semerdjian, apresentadora do programa. “Mas ela nos deu um endereço e a foto de uma menina de sete anos que foi amarrada e espancada. Alertamos as autoridades”.

Depois de duas visitas ao endereço, os oficiais do serviço de proteção à criança encontraram a menina e retiraram as crianças de casa, colocando-as em um lar adotivo.

“Foi muito difícil. Eu não consigo descrever. Eu sou mãe. Sinto uma dor no coração quando eles não estão comigo. As informações que recebi sobre meus filhos foram dolorosas. É muito difícil descrever o que sinto, com eles crescendo longe de mim”, diz Samira.

“Mas, com a sua ajuda, as crianças agora estão seguras, com uma boa família que cuida bem delas e conversamos online”, diz Samira. Ela está tentando juntar os fundos para trazer seus filhos para morar com ela. “Eu até preparei um quarto para eles aqui, esperando que venham até mim.”

A história de Samira no programa da SAT-7 destacou a discriminação e a falta de proteção que as mulheres enfrentam no sistema jurídico do Líbano, que se reflete em vários outros países do Oriente Médio. A falta de reforma das leis de status pessoal do país significa que os direitos iguais das mulheres não são garantidos em questões de divórcio, propriedade e custódia dos filhos. Mulheres libanesas casadas com estrangeiros não podem passar sua cidadania aos filhos, enquanto um homem pode na mesma situação. As mulheres também carecem de proteção legal adequada contra a violência doméstica.

Reconhecendo o valor igual que mulheres e homens têm aos olhos de Deus e a necessidade de compartilhar esta mensagem em toda a região, a programação da SAT-7 visa dar às mulheres uma plataforma para serem ouvidas e receber apoio, para aumentar a conscientização sobre os problemas que enfrentam e para mostre às mulheres seu verdadeiro valor aos olhos de Deus, compartilhando a perspectiva cristã.

*Nome e país de residência alterados para proteger a identidade